segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

sonhos


O que eu sei sobre sonhos, é que eles são de origem alemã, onde surgiram com o nome de krapfen, uma massa doce fermentada, frita e recheada com geléia de alguma fruta vermelha e polvilhado com açúcar ou até em uma versão mais simples, apenas polvilhado com açúcar.

Acho que à partir daí, cada país criou uma versão similar e colocou outro nome, como os americanos chamando de doughnuts e cortando a massa em forma de anel ou os portugueses chamando de bola de berlim e recheando com creme de confeiteiro. Num belo dia, acho que algum brasileiro gênio pegou essa versão dos nossos trutas portugueses, e trocou o nome por sonho, o que na minha opinião, tem tudo a ver com o pãozinho. 

Muitos anos depois disso tudo, o Diego Barreto, aka @thinkfood, deve ter ficado com muita vontade de sonhos, e por isso, inspirado na postagem coletiva sobre os panetones, sugeriu que alguns blogs realizassem uma nova postagem coletiva, dessa vez com sonhos! Além dele, também entraram os blogs A Cozinha Coletiva, Pé na Cozinha, Prato Fundo e The Cookie Shop.

Eu já tinha feito sonhos algumas vezes usando uma mesma receita, resultando numa massa docinha e macia. Mas dessa vez queria testar alguma receita nova, e logo  de cara pensei numa receita de um livro que comprara há algum tempo, onde a receita (de doughuts) é ilustrada por uma foto incrivelmente apetitosa. 

Mas dali dois dias, chegou outro livro, onde tinha uma receita, também de doughnuts logo nas primeiras páginas. O que me chamou atenção nessa receita, foi o fato da massa ser feita com dois tipos de fermento, químico e biológico. Nunca tinha feito massa assim. Aí não me aguentei, e decidi testar as duas receitas.

Essa segunda receita, onde misturavam-se dois tipos de fermento, resultou-se numa massa macia e um pouco menos doce em comparação com a massa de sonho da qual estamos acostumados, mas muito boa. Mas a campeã mesmo, foi a primeira receita que fiz, incrivelmente macia, mais úmida, mais adocicada e mais aerada do que a segunda. Foi uma unanimidade. Abaixo o comparativo das duas: a da esquerda, a campeã e a da direita, a vice. (Se quiser a receita da direita, é só pedir nos comentários)


O recheio escolhido foi o tradicional creme de confeiteiro, de longe o meu preferido. Em alguns lugares, encontramos sonhos recheados com doce de leite, goiabada ou creme de chocolate. Com doce de leite também gosto muito, mas goiabada e creme de chocolate, dispenso.

--

Socorro, tenho medo de fritar sonhos!

Fritar sonhos ou qualquer outra massa, não é difícil e não faz sujeira. Ao menos que você resolva fritá-los numa panela pequena e rasa, com a temperatura muito alta ou muito baixa. Você pode ter como resultado, sonhos gordurentos ou crus por dentro, e aí começa a bater àquele ódio mortal de ter tido a idéia de girico de fritar sonho. E ódio mortal na cozinha, quase que sempre, se resulta em bagunça, sujeira e desastre.

Primeiramente, organize-se: coloque os sonhos já fermentados e prontos para fritar, próximos a panela com o óleo, pra não rolar aquele malabarismo de se esticar lá longe pra pegar o sonho e jogá-los de qualquer jeito na panela. Tenha também ao lado, um prato grande forrado com papel toalha, pra escorrer os sonhos depois de fritos. Faça isso ANTES de esquentar o óleo.

Tenha em mente que você deve fritá-los em uma panela grande e funda. Encha a panela com óleo (nem pense em óleo de soja, use algum óleo neutro, como milho, canola ou girassol), mais ou menos uns 5 dedos. Se você tiver um termômetro de cozinha, a temperatura correta para fritá-los fica entre 175ºC e 180ºC. Se não tiver o termômetro, aquela técnica de vó de jogar um palito de fósforo no óleo quente e esperar o palito acender, também serve. Mas se você vai com frequência pra cozinha, compre um termômetro, porque não é caro e é muito útil.


Não coloque muitos sonhos de uma vez na panela, pra não rolar uma superlotação parecendo o piscinão de ramos em dia de calor. Certifique-se que você terá espaço suficiente para virá-los sem problemas. Sacrifique um sonho, abrindo-o ao meio para ver se não está crú por dentro. Caso esteja, ajuste a temperatura do óleo.

O processo todo não é nada demorado, e em poucos minutos você terá seus sonhos fritinhos, douradinhos e bem lindos, só esperando para serem abertos, recheados e devorados!

--

Sonhos
levemente adaptado daqui
rendimento: 20 sonhos pequenos com 6,5 cm de diâmetro

INGREDIENTES:
massa:
2 1/2 colheres de chá de fermento biológico seco instantâneo
160g de leite, em temperatura ambiente
490g de farinha de trigo
70g de açúcar
3/4 de colher de chá de sal
3 ovos, em temperatura ambiente
100g de manteiga sem sal, em temperatura ambiente

creme de confeiteiro (levemente adaptado daqui)
500g de leite integral
180g de açúcar
uma pitada de sal
6 gemas
1 fava de baunilha, aberta no sentido do comprimento, com as sementinhas raspadas (ou 1 colher de chá de extrato de baunilha)
30g de manteiga

óleo para fritar
100g de creme de leite fresco* (opcional)

PREPARO:

recheio:
Coloque o leite e a fava de baunilha numa panela de fundo grosso e leve para ferver. Enquanto isso, bata na batedeira as gemas, o açúcar e o sal, em velocidade alta, até virar um creme branco e espesso. Desligue a batedeira, acrescente a farinha e bata em velocidade mínima somente até a farinha incorporar-se. 

Quando o leite ferver, desligue o fogo e acrescente-o aos poucos com cuidado com a batedeira ligada em velocidade mínima. Quando tiver colocado todo o leite, volte a mistura de leite para panela, e leve ao fogo mínimo, até começar a ferver, mexendo constantemente. Desligue o fogo e continue mexendo por alguns minutos. Adicione a manteiga e o extrato de baunilha, se estiver usando, e mexa até incorporar e coloque o creme numa tigela para esfriar. Cubra o creme com plástico filme e faça alguns furos na superfície para o excesso de vapor sair e leve à geladeira até que esfrie.

massa:
Bata o leite com os ovos, somente para misturar. Coloque na tigela da batedeira a farinha, o áçúcar, o fermento e o sal. Faça um vulcãozinho no meio, e coloque a mistura de leite e ovos e sove a massa, usando o gancho, por uns 3-4 minutos. Continue sovando, e vá acrescentando a manteiga, aos poucos, e continue sovando, por uns 5-6 minutos, ou até a manteiga ter se incorporado totalmente, resultado uma massa macia e um pouco mole, mas sem grudar muito nas mãos. Eu precisei colocar mais 3 colheres de sopa niveladas de farinha, para isso.

Desligue a batedeira, cubra a massa com plástico filme, e leve para descansar em geladeira entre 6hs e 15hs (a minha ficou 14hs na geladeira).

Cubra uma assadeira grande com um pano de prato e polvilhe a superfície com farinha de trigo. Retire a massa da geladeira, polvilhe a superfície de trabalho com farinha de trigo e abra a massa usando um rolo, formando um quadrado com 30cm com pouco mais de 1cm de altura. Usando um cortador redondo, corte discos de massa e coloque-os na assadeira preparada. Quis fazer sonhos menores, então usei um cortador com 6,5cm.

Cubra a assadeira com um pano de prato um um plástico grande e deixe fermentar em temperatura ambiente por umas 2hs ou até dobrarem de altura e ficarem bem inflados.

Enquanto isso, coloque o óleo pra esquentar numa panela grande e funda e coloque um prato grande coberto com papel toalha ao lado, para escorre-los.

Quando o oléo atingir uma temperatura entre 175ºC e 180ºC, aos poucos, coloque os sonhos para fritar, lembrando de não colocar muitos de uma vez. Assim que dourarem embaixo, vire-os com uma escumadeira para dourarem do outro lado. Os meus, como eram pequenos, ficaram aproximadadmente 1min, 1min e meio de cada lado.

Coloque os sonhos já fritos e deixe-os até que esfriem por completo.

Enquanto isso, bata 100g de creme de leite fresco até virar chantilly. Incorpore delicadamente ao creme de confeiteiro já frio, até ficar homogêneo. Quando estiverem frios, corte os sonhos ao meio com uma faca quase até o final e recheie com o creme. Para ficar mais fácil, usei um saco de confeiteiro com bico perle (redondo e liso). Polvilhe com açúcar de confeiteiro e sirva em seguida.

--

Ainda assim, se você não sentir-se confortável com a fritura ou quiser economizar na calorias, você pode assá-los. Sacrifiquei 3 sonhos e levei-os para assar em forno pré-aquecido 180ºC até dourarem. Espere esfriar e rechei-os como descrito acima. O resultado, obviamente, fica bem diferente se comparado com a versão frita. Não fica um sonho, fica apenas um pãozinho recheado.

15 comentários:

Sandra Peres disse...

Vou testar sua receita, comia muito sonho quando criança, e perdi a receita, semana passada fiz uma, mas não gostei muito da massa, também utilizava dois fermentos.

Prefiro sempre o creme de baunilha, e sempre faço uma versão com goiabada, da ultima vez usei a cobertura de cream cheese de cupcakes para rechear junto, e agora vou misturar ao creme de baunilha, vamos ver se combina e não fica tão doce.

Ansiosa para ver as outras receitas...

Beijos

Diego Barreto disse...

Excelente e minuncioso. Não esperava nada senão o alto nível de sempre. Bjoca

thecookieshop disse...

Nham, nham - esse seu creme de confeiteiro está de verter lágrimas.
Belíssimo post.

Arnaldo disse...

eu adorei os sonhos e você ta fazendo muito sonho eu adorei todos os sonhos mais gostozo do mundo

Patricia Scarpin disse...

Estou adorando o "Flour", mas me conta do outro livro, Rê - fiquei curiosa! :D

Lindos os teus sonhos - tão macios! Fiquei na maior vontade aqui. :)

xx

Talita disse...

Amei as dicas! Nunca me atrevi a fritar sonhos em casa (na verdade nem sonho, nem batata, nem ovo...) porque nunca me acerto com o óleo, temperatura...
Fiquei animada a testar essa receita, parece que a massa fica mesmo muito fofinha!

Seu blog está demais! Copiei várias receitas que pretendo testar em futuro próximo!

Beijos

Carol_Rodarte disse...

Amei a receita!! vou com certeza fazer aqui! bj

Margarida disse...

Conheci o seu blog hoje....Paaaaaaaaaarabéns!!!!!
Sua maneira clara e simples em escrever e contar as histórias...muuuuito legal...suuuuucesso...
Seria tua seguidora.....
Eu comia sonho quando criança na festa da igreja eram maaaaaaaaraaaaviiilhoooosos....lembrei daquela époc agora quando vi os seus sonhos...

Suuuuuuuuuuuuuuucesso...

Beeeeeeeeijos...
Margarida.

Ana Paula disse...

Parabéns, Renata! Ficaram muito lindos! Sabe, amo sonhos, mas nunca me aventurei a fazê-los porque são fritos! Ainda procuro uma receita boa de sonhos assados! Um dia encontro...mas o teu recheio deve ter ficado demais de bom!!!

cronicas gulosas disse...

Fiz o périplo por todas as receitas de sonho da postagem coletiva. Sutis diferenças, mas o seu me lembra o que minha avó fazia. Com a diferença do recheio - ela praticava a goiabada caseira, que você não gosta...Abs! e adorei...

Nutri Bobagens disse...

Adorei essa coisa de blogagem coletiva, meu blog também é ligado a comidinhas e quando houver outra posta desse tipo vou adorar participar!!!!

bjoS2

Pâtisserie disse...

Adoro bolas de berlim :) visita.me em cafenoirpatisserie.blogspot.com

Danielle disse...

Parabens pelo Blog
Achei teu blog procurando uma receita de croquembouche e me deparo com tantas outras delicias, entre elas este sonho.

Moro no Canada em Calgary e aqui eh muito dificil acharmos coisas que nos lembrem do Brasil, vou testar fazer este sonho esta semana.

Como aqui os aptos geralmente a cozinha eh aberta para sala, tenho uma fritadeira, voce acha que coloca-los na fritadeira teremos o resultado igual? POis fritar qq coisa aqui ainda mais com fogao eletrico e apto com carpete e aberto eh de matar!

Obrigada

Danielle

Sara disse...

a verdade é que eu pensei que houvesse uma maneira diferente, eu acho que vou ter que começar a fazer isso em algum momento, porque eu iria experimentar, eu espero que você tenha a chance de fazer ou, pelo menos, experimentá-lo em restaurantes em sao paulo

Unknown disse...

Adorei as dicas, pois acabei de fazer antes de ler e ficou cru por dentro massa pesada, essa da massa descansar na geladeira procede, sendo que faço com a massa de cueca virada, e fica bem melhor.Obrigada!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...